SESSÕES DE PUBLICAÇÃO
 
Página Inicial
Músicas
Filmes
Jogos
PSP
Softwares
E-book's e HQ's
Rádios
Bizarro
Diversão
Documentários
Tecnologia
Financie Nossos Projetos
Solicitar Acesso
 
IDENTIFICAÇÃO DO USUÁRIO
 
E-mail
Senha
 
CONHEÇA NOSSOS PARCEIROS
 
Equipe ScummBR de Traduo de Jogos!
DOSBox, o melhor emulador de DOS do mundo!
Emulador multiplataforma dos jogos da engine Scumm e derivados!
 
DICAS PARA VOCÊ
 
 
 

A Anatomia de um Vampiro!












Este artigo é uma continuação do artigo "Cientificamente Comprovada a Existência de Vampiros!", publicado no portal Tolledo.net. Recomendamos que leia o artigo original primeiro para que entenda melhor os assuntos aqui abordados. Uma pessoa que sobrevive ao coma vampírico sofre uma série mudanças fisiológicas que afetam variadas partes do corpo. As informações contidas neste artigo trazem apenas uma visão geral do assunto. Para mais detalhes, recomendamos a leitura de dois artigos clássicos: A Anatomia do Vampiro (Henry Gray) e a série "A estrutura Corporal dos Vampiros."

Cérebro / Sistema nervoso
O sistema nervoso de um vampiro é semelhante ao dos seres humanos e pode ser considerado o seu "calcanhar de Aquiles". As lesões causadas na medula espinhal e no cérebro da pessoa são devastadoras. A medula e o sistema nervoso não funcionam mais como antes. Fatalmente ocorre uma série de mudanças no cérebro. As substâncias químicas cerebrais sofrem alterações que fazem com que o "cérebro modificado" leve um bom tempo para se adaptar aos novos comportamentos fundamentais do corpo do vampiro.

A Serotonina
Vampiros têm níveis muito mais baixos deste neurotransmissor. Nos seres humanos, baixos níveis de serotonina desencadeiam comportamentos agressivos e perigosos. Estudos feitos com assassinos condenados a morte revelaram níveis mais baixos de serotonina em seus cérebros.

A Dopamina
Dopamina é um neurotransmissor que induz sensações de bem-estar. Nos vampiros, ela é liberada durante a alimentação e causa reações alucinógenas. Quando um vampiro se alimenta, suas atividades neurais se parecem muito com as atividades neurais mapeadas em viciados no momento em que estão usando drogas.

O Ciclo Circadiano
As químicas cerebrais que nos ajudam a acordar com a luz do dia possuem efeitos inversos nos vampiros.

Sentidos
Os sentidos dos vampiros são aguçados. Isso dá a eles uma vantagem enorme para caçar e pegar alguém de surpresa. Enganar um vampiro é praticamente impossível, pois ele sente sua presença muito antes de que você saber que ele está ali.

Visão
A íris dos olhos de um vampiro são hiperdilatadas, fazendo com que seus olhos pareçam negros. Esta dilatação faz com que os vampiros possuam uma ótima visão noturna, mas os torna praticamente cegos à luz do dia. Além disso, os vampiros tem irritação esclerótica. Isso afeta seu globo ocular fazendo com que a parte branca dos olhos fique vermelha.

Audição e Olfato
Ambos os sentidos são extremamente aguçados. Comparados aos seres humanos, os vampiros possuem o dobro de células receptoras tanto nas narinas quanto nos ouvidos. Isso faz com que eles possam sentir o cheiro e ouvir uma pessoa muito antes de vê-la.

Cabelos, Pele, Dentes e Unhas
Parte do terror de encontrar um vampiro ocorre devido as mudanças dramáticas que afetam sua aparência. Algumas dessas mudanças podem ser compreendidas, enquanto outras ainda permanecem um mistério.

Dentes
Durante o coma vampírico, os dentes caninos superiores e inferiores crescem rapidamente.

Uma Camada de esmalte surge no topo dos dentes. Os vampiros geralmente afiam a ponta desses dentes para facilitar a alimentação.

Cabelo
Com mais ou menos 10 anos de transformação, os vampiros perdem todo o cabelo (exceto os minúsculos pêlos em suas orelhas, conhecidos como cílios).

Pele
A pele de um vampiro recém-transformado é fraca. Ela possui um tom amarelado que vai se modificando para azul ao longo dos dias. Com o tempo, a pele fica cada vez mais pálida e uma fina rede de veias torna-se visível sob a pele.

Unhas
As unhas de um vampiro são fortes e crescem rapidamente. Os vampiros deixam suas unhas crescer para facilitar a caça de suas presas.

Sistema Circulatório
As maiores diferenças entre vampiros e os seres humanos estão no sistema circulatório. Essas diferenças fazem com que os vampiros possam suportar traumas fortíssimos, que certamente matariam um ser humano.

Sangue
O sangue de vampiro é chamado de ichor (licor). As mudanças de hemoglobina nos glóbulos faz com que o sangue fique preto.

Coração
O sangue de um vampiro é bombeado mais pela contração muscular (músculos esqueléticos) do que pelo coração, que geralmente atrofia por desuso.

Adrenalina
Este "hormônio de emergência" normalmente entra em ação durante situações extremas, como por exemplo uma luta ou fuga. Ela constantemente é encontrada em grandes quantidades no sangue de um vampiro. A presença da adrenalina, juntamente com as mudanças musculares, ósseas e transformações no tecido conjuntivo, fazem com que o vampiro tenha extraordinária velocidade, força e agressividade.

Temperatura do Corpo
A temperatura do corpo de um vampiro é aproximadamente 15 graus, enquanto a temperatura do ser humano é de 37 graus. Essa enorme diferença de temperatura é de grande valia para combater vampiros na era moderna, ja que eles podem ser facilmente diferenciados quando vistos por imagem infravermelha de dispositivos com sensor de calor (Observe a diferença entre o vampiro e o ser humano na quarta foto de cima para baixo).

Sistema Muscular / Esqueleto
Mudanças no sistema muscular e no esqueleto dão aos vampiros vantagens significativas sobre os seres humanos.

Músculos / Tecido conjuntivo
Cerca de 90% dos músculos dos vampiros se contraem rapidamente (em comparação a 50% em um ser humano médio). Essas contrações rápidas dos músculos permitem explosões de extrema força, ideal para caçar suas presas. Além disso, os ligamentos e tendões de um vampiro se reforçam cada vez mais de acordo com a força que ele impõe aos músculos.

Esqueleto
Os ossos de um vampiro engrossam. Uma adaptação necessária para suportar seus novos músculos extremamente fortes.

Envelhecimento e Expectativa de Vida
Embora não existam registros de vampiros mortos por causas naturais, o processo de envelhecimento de um vampiro é diferente do processo de envelhecimento normal dos seres humanos. Os vampiros não envelhecem em um nível genético/molecular. Sua vida de caça e captura gera um tremendo desgaste que causa lesões em seus ossos e tecidos.

Por representarem perigo a sociedade, a maioria dos vampiros foram destruídos muito antes de chegar ao seu limite corporal de vida. No entanto, histórias antigas deixam algumas pistas. Na China antiga, conta-se que havia um vampiro na corte do imperador da dinastia Zhou com a idade aproximada de 550 anos. Registros confiáveis atuais certificam a existência de vampiros com mais de 200 anos de idade.

Ao contrário do que pensam alguns teólogos, a longevidade vampírica não resulta de um pacto com o diabo, mas sim da capacidade de impedir danos ao DNA quando as células se dividem. O que não ocorre em humanos normais. Mais detalhadamente, as cápsulas de protecção dos cromossomos conhecidos como telómeros são dizimadas ao longo do tempo nos seres humanos, mas não em vampiros.

Embora seu DNA possa ter a capacidade de resistir ao envelhecimento, a aparência de um vampiro muda drasticamente ao longo do tempo. Os vampiros perdem todo o cabelo num prazo de 10 anos de transformação. Com o tempo, as reservas de gordura do vampiro encolhem e sua pele se torna fina e transparente, dando-lhe uma aparência velha e mirrada. O envelhecimento também deixa os vampiros com uma curvatura acentuada da coluna vertebral.

Apesar de sua aparência frágil, vampiros velhos ainda são extremamente fortes e ágeis. Muitos caçadores de vampiros cometeram o erro de subestima-los.

Fonte: The Federal Vampire and Zombie Agency


Comentários sobre o artigo


Recomende este artigo para seus parentes e amigos

Artigo lido 31029 vezes



 
 Tolledo.net Research Center 
Todos os direitos reservados